Domingo, 20 de Janeiro de 2008
2008 trará mais do mesmo?

2008 trará mais do mesmo?


Esta passagem de ano foi vivida com as expectativas de todas as outras: a esperança de um ano novo melhor que o anterior. Em termos políticos poder-se-á dizer que poderá ser o ano da mudança em Ponte da Barca. Isto é, se tudo o que está previsto no Plano de Desenvolvimento Estratégico e no orçamento para este novo ano se fizer cumprir. Apesar de todas estas expectativas poderem andar pelas cabeças dos barquenses que estão à espera para ver, existirão aqueles que nem saberão sequer destes planos, aqueles que pensam que tudo isto não passarão de promessas, ou seja, uma maneira dos políticos dizerem aquilo que não vão fazer dizendo que vão fazer, e existe ainda um grupo que em vez de fazer o balanço de 2007 fizeram já o balanço de 2008, dando já como concretizados todos estes planos.

Não seguindo a onda destes defensores exagerados do actual executivo, que dão como já concretizados os projectos previstos, o barqueiro também não segue a onda de começar já a dizer que vamos ter mais do mesmo este ano, apesar de o medo pairar. Faz antes a pergunta: 2008 trará mais do mesmo? Tenhamos a esperança que não.

Tenhamos a esperança de que a Câmara Municipal consiga realizar todos os projectos a que se propôs para este 2008, e que consiga atravessar este ano de forma bem sucedida, como o povo de Touvedo S. Lourenço fez ao reviver a tradição da passagem do rio e ao chegar de forma bem sucedida à outra margem do rio Lima.

 


 

Tenhamos a esperança que o fardo das promessas feitas por Vassalo Abreu para 2008 não lhe pese tanto quanto pesam as “medalhas” e o “metal precioso” ostentados ao pescoço pelo Arcebispo Primaz de Braga D. Jorge Ortiga, nas cerimónias de inauguração da biblioteca do centenário do nascimento do Cónego Avelino de Jesus Costa.


 

Tenhamos esperança que a vida pública barquense não se conduza pelas águas da monotonia e estagnação, tal como tem feito Artur Alvarães da “Tribuna Livre” do “Notícias da Barca” ao dar semanas a fio a “habitual pincelada”, como ele próprio designa, desde que foi aprovada a nova Lei do aborto, durante todo este ano de 2007.


 

 

Esperemos que a Câmara Municipal fomente o turismo, como uma das maiores potencialidades de Ponte da Barca, e que não se metam mais “poios” nos postais turísticos de Ponte da Barca, como aquele que, irremediavelmente foi começado a ser “cagado” em 2007.   

 


 

 

 


sinto-me:

talhado por o barqueiro às 00:56
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

José Pontes vs Cabral de Oliveira: o duelo de 2008

José Pontes vs Cabral de Oliveira: o duelo de 2008


Parece que já se estava mesmo a adivinhar que o regresso de Cabral de Oliveira iria destabilizar a entrada da política barquense neste novo ano de 2008. Depois de Adolfo Pereira esclarecer a sua situação acerca dos cargos que ocupa simultaneamente (na comissão política do PS e na organização de festas do S.Bartolomeu), sobre os quais Cabral de Oliveira fez menção no seu artigo de regresso, é desta vez José Alberto Pontes, vereador e vice-presidente da Câmara Municipal, que vem responder ao tal artigo. José Pontes vem-nos brindar com um longo artigo de comentário às acusações de Cabral à actual Câmara (tudo em http://nadasobreabarca.blogs.sapo.pt/39212.html) e ainda com o bónus extra de revelar os “podres” do tempo em que Cabral exercia a política no concelho.

Feita a introdução a este duelo, resta fazer duas perguntas:


  1. Quais as intenções de Cabral de Oliveira neste regresso aos assuntos da política após tão difícil e rebuscada saída da presidência do município e das lides políticas?
  2. Como sai desta resposta José Alberto Pontes, e, sobretudo, com que direito o faz?

 

Para responder à primeira questão, poderíamos sempre recorrer à “Teoria do Poleiro” ou à “Tese do viciamento e dependência política”. São velhas linhas de conduta através das quais os políticos regem todas as suas motivações, expectativas e acções. Mas se querem algo mais específico, uma razão ou uma intenção concreta que ele estará à procura de concretizar, perguntem ao próprio. E não tenham medo, não “come” ninguém, apesar de o já poder ter feito em velhos tempos! Ele irá certamente responder com toda a simpatia, pois como todo o político, especialmente fora do poder, estará cheio de simpatia e boas intenções.

Relativamente à segunda questão, José Alberto Pontes vem responder na qualidade de membro, e por isso defensor do actual executivo camarário. José Pontes vem orientar a sua resposta na lógica de “é guerra que queres?!, então embrulha lá as borradas que fizeste, ou pensas que só nós é que borrámos?!”. Como para “grandes males, grandes remédios”, às insinuações de “falta de transparência” e de “mordaça” de Cabral de Oliveira acerca do actual executivo, José Pontes responde com um não menos “potente” “paladino da ética política”, como o próprio diz. Vem relembrar aos barquenses as “batotas” de Cabral de Oliveira, como o facto de ilegalmente acumular remunerações de presidência da câmara e de médico, a execução de uma reunião municipal sem quórum, ou um negócio com uma construtora de um terreno camarário quando tempos antes tinha indeferido a viabilidade de construção pelo anterior proprietário privado.

No fim de contas, é triste a realidade, ou melhor, a doença ou disfunção com que todos os políticos nascem de saberem ver perfeitamente os defeitos dos outros políticos, mas serem incapazes de se aperceberem dos próprios, ou pelo menos nunca aprender com os seus tantos erros.

 

Querem conclusões? Aqui vão algumas:

 

  1. Cabral de Oliveira neste seu regresso político vem dar um contributo importante ao “vandalismo político” que cada vez mais caracteriza a política portuguesa.
  2. José Pontes tem um dos pontos mais relevantes a nível mediático local da história do seu posto de vice presidência ao enfrentar o velho dinossauro político dos tempos em que o PS ainda era uma “pobre” oposição. Tenta mostrar a Cabral que “arranjou lenha para se queimar”, atirando à sua cara as “borradas” de há uns tempos na câmara.

 

Estamos a assistir a uma “luta” partidária de grande calibre “politiqueiro” já no início de 2008. Se a “qualidade” se mantiver, este ano de 2008 promete!!!


 


sinto-me:

talhado por o barqueiro às 00:55
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

O Porquê do Lisboa – Ponte da Barca 2009

O Porquê do Lisboa – Ponte da Barca 2009

Após a Era Lisboa – Dakar



A propósito da coluna do “Assim… Sim!” e do “Assim… Não!” do “O Povo da Barca”, que referia o estado de degradação da estrada nacional 203, o barqueiro não pode deixar de vir apelar às instituições e organizações deste Portugal e de França para que o próximo grande rali TT do mundo continue a ter partida em Lisboa nos próximos anos. Parece algo pouco possível, dado que a ameaça terrorista não se resolverá num ano. Mas na realidade é possível o “Lisboa – Ponte da Barca” já para o próximo ano. A proposta consiste em aproveitar estradas que estejam em condições para o TT desde Lisboa até ao nosso concelho, sendo as últimas etapas, a realizar no nosso concelho, as mais árduas e exigentes para os pilotos, onde o pódio se poderia decidir só na última etapa. A entrada no concelho poderia ser feita por essa mesma estrada 203, vindos de Ponte do Lima. Chegados à vila, aproveitar-se-ia ainda o magnífico pavimento da estrada a que ainda muitos não sabem explicar por que se chamará variante e dos acessos à zona escolar, com o perigo a espreitar de forma matreira num buraco (abismo) escondido pela água das chuvas. Caso a taxa de “remeximento” do pavimento das ruas da vila se mantenha daqui a um ano, pode-se ainda aproveitar os lameiros dentro da vila, de onde a população terá vista privilegiada para o rali directamente das janelas dos seus lares.  


 



talhado por o barqueiro às 00:53
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

Novo sacerdote “entregue” ao destinatário

Novo sacerdote “entregue” ao destinatário


A freguesia de Bravães mais uma vez não deixou ficar “mal” o nosso concelho em termos de imagem de terra de gentes que se matem agarrada às tradições e ao modelo de católico que muitos portugueses felizmente não chegaram a viver. Trata-se da mediática questão de uma nova geração de sacerdotes do concelho que está aí a brotar, que fez Bravães e o concelho ocupar-se com acontecimentos populares e notícias na imprensa desde o Verão de 2007. Depois dos anteriores episódios das ordenações sacerdotais e de toda a “máquina” popular em sua volta (tudo em http://nadasobreabarca.blogs.sapo.pt/23222.html, http://nadasobreabarca.blogs.sapo.pt/27732.html, http://nadasobreabarca.blogs.sapo.pt/24178.html, http://nadasobreabarca.blogs.sapo.pt/30442.html), o barqueiro e muitos outros barquenses pensariam que os episódios protagonizados pelas gentes que querem acompanhar o novo padre da dita freguesia tinham acabado. Puro engano! A fase de “estágio” de um sacerdote, como é o caso do novo padre em questão, Jorge Silva, é morosa, complicada e sobretudo muito importante para a população, ou pelo menos parte dela.

O novo “episódio” desta “série” teve lugar no passado 6 de Janeiro, com a deslocação de conterrâneos que se deslocaram desde Bravães para assistirem à tomada de posse, se é assim que se poderá chamar, do novo padre em questão por terras de Monção. Pelas poucas informações publicadas, parece que a “entrega” deste sacerdote ao “destinatário” pelas pessoas que o acompanharam foi um sucesso, tendo tudo corrido dentro da normalidade antes, durante e depois do processo de “transporte”.




sinto-me:

talhado por o barqueiro às 00:48
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

barqueiro
pesquisar
 
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


barcalhoadas recentes

Saga "Palhaçadas" continu...

Maravilhas naturais, turi...

Palhaçadas de Carnaval

Menino Jesus vs Pai Natal

Reunião(ões) da(s) Jarra(...

O "Vosso" executivo e o 3...

Um executivo empregador

Gripe Ai!, não faça o "ra...

Fugir de homossexuais: el...

"Pai" Barqueiro e os pres...

Terminou o forrobodó! Mai...

Dossier Autárquicas 2009 ...

Dossier Autárquicas 2009 ...

Novela de Verão: "Meu S.B...

Dossier Autárquicas 2009

Vassalo "Summer Sessions"

O destaque de sempre: Lim...

A "Nata" Barquense

A Fórmula Cultura+Turismo

A "Colmeia" das "Abelhinh...

Barquenses votaram Europa...

Certame político-religios...

"Novo Rumo" com "velhos" ...

Política passeando pelas ...

Bitaitadas frescas

Mais um ano com os livros

De Ponte da Barca a Lisbo...

Pontes da decadência

Diácono de Lindoso ajoelh...

Viva a liberdade, e o iní...

todas as barcalhoadas já assistidas

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

Visitas
Vídeo do mês: Política para Totós
subscrever feeds