Sábado, 12 de Abril de 2008
Problemas nas escolas também em Ponte da Barca
Problemas nas escolas também em Ponte da Barca

Um relato na imprensa local acerca de um episódio passado em Vila Nova de Muía prova mais uma vez que o problema das escolas em Portugal é serem "portuguesas", na verdadeira acepção da palavra. Tantas vezes ouvimos falar da "mentalidade portuguesa" como pesada herança de tempos fechados de ditadura que se propagou às gerações posteriores. Tantas vezes ouvimos falar de Portugal na cauda da Europa em muitas áreas. São na realidade dois factos que andam de mãos dadas, "casadinhos" e com um laço muito forte que os une. Transferindo estas reflexões para a educação temos as explicações do que se tem passado na actualidade do país. O problema da Escola Carolina Michaelis é da educação que se dá aos jovens. Muitos pais não educam os filhos, e sobretudo não incutem nos filhos a importância da escola, e para o que é que andam a caminhar através dos estudos, e depois os culpados são os telemóveis. Os professores dão a entender que não querem ser avaliados, pois não avançam alternativas ao modelo tão contestado, dizendo apenas "não à avaliação". A sociedade com a tal mentalidade rotula pessoas e cria divisões com base nas diferenças que felizmente existem entre as pessoas, e incute isso desde tenra idade, e o Procurador Geral da República vem dizer que as escolas são "incubadoras" da violência e injustiça. As escolas não actuam quando há indisciplina e os alunos habituam-se a recorrer e a imitar os episódios de violência, chegando-se ao ponto de se precisarem de vídeos das cenas de indisciplina para "fazer de conta que se disciplina". O problema da indisciplina e violência na escola sempre existiu, assim como a mentalidade, e chega-se a 2008 e um vídeo do youtube que alguém se lembrou de por nos telejornais espanta as pessoas e os políticos, quando toda a gente que passou pela escola sempre soube que isso existia.

Talvez nesta onda mediática, que já está quase esquecida, alguém decidiu por no jornal que um aluno da freguesia de Ponte da Barca já referida foi discriminado quando não lhe entregaram as amêndoas na celebração da Páscoa na escola, ao contrário do que fizeram aos restantes alunos. Só foram entregues depois, depois de o tal aluno ter visto as amêndoas serem entregues aos colegas. Isto e tudo o resto aqui falado passar-se-á também nas escolas de Ponte da Barca, como todos saberão.

 A taxa de mortalidade infantil costuma ser usada como índice de desenvolvimento de um país, e nisto Portugal já é um país desenvolvido. Os restantes rankings mostram um Portugal fracamente desenvolvido, pois é um país que não consegue construir uma base para o desenvolvimento tão desejado: educar os cidadãos.


 



sinto-me:

talhado por o barqueiro às 20:31
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

Terça-feira, 21 de Agosto de 2007
Fim das aulas de Estado Novo?

Fim das aulas de Estado Novo?

Na última edição dedicada ao S. Bartolomeu do "Notícias da Barca" aparece mais uma vez o "professor" (Artur Soares) das "aulas de Estado Novo", divulgadas neste blog nos últimos tempos. Como podem ver nas "últimas barcalhoadas", já íamos na 3ª aula. Não se lembra?... Aquelas aulas em que se seguia o ritual:

"Cantem o Hino e de seguida 2 Avé - Maria, 1 Pai Nosso e para finalizar um "sinalzinho da cruz". Ha!... e virem-se para as fotografias."

           

Artur Soares colocou uma questão, nessa última edição, que poderia ir a referendo, de se perguntar aos  cidadãos portugueses se concordariam com a formação de um Governo de Salvação Nacional, um novo presidente da República interino e se desse início à Quarta República. Em tom de pessoa austera, como aparenta ser, e em tom de quem não "engole" o resultado do último referendo do aborto, ainda diz que "Se ganhasse o "NÃO", ao fim de oito anos - como o referendo ao aborto - voltava-se à carga, parando só quando o povo sentisse que a Assembleia da República já actuava "segundo a vontade da sociedade civil"(...)".

Como aqueles leitores fiéis a este blog e que detestam fascismos e ideias retrógradas já estarão fartos, poderá por-se uma questão, essa sim pertinente:

Concorda com o fim das "Aulas de Estado Novo" que têm sido dadas aos cidadãos barquenses?

 

O barqueiro, pessoalmente concorda.



talhado por o barqueiro às 08:32
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

Segunda-feira, 30 de Julho de 2007
3ª Aula de "Estado Novo" por Artur Soares

3ª Aula de "Estado Novo" por Artur Soares

Como este a mentalidade fascista ainda anda por aí, e como os seus apoiantes se têm revelado muito receptivos às "Aulas de Estado Novo" dadas por este blog já por duas vezes, eis mais uma aulinha, que vem provar que o tempo em que se ensinava aquilo que Salazar impunha ainda não acabou, apesar dele já ter acabado há muito. Mais uma vez a qualidade dos conteúdos é de Artur Soares, a exclusividade é do Notícias da Barca e a interactividade de ensino provinciano é do "Nada sobre a Barca". Já agora, se não estudou as primeiras aulas em http://nadasobreabarca.blogs.sapo.pt/14681.html e em http://nadasobreabarca.blogs.sapo.pt/16560.html, dê uma vista de olhos para não se acumularem muitos conteúdos.

Comecemos como sempre:

Cantem o Hino e de seguida 2 Avé - Maria, 1 Pai Nosso e para finalizar um "sinalzinho da cruz". Ha!... e virem-se para as fotografias.

         

A aula de hoje é dedicada à discussão do sistemas políticos que hoje nos governam e que já nos governaram no passado. Será que temos estado a trocar tudo durante estes anos!? Será que afinal já vivemos melhores tempos antes do 25 de Abril de 1974, e agora vivemos numa ditadura? E essa ditadura será fascista ou comunista? Eis o que trás cá o "professor" Artur Soares:

"Por mais que procure catar, para saber qual é a espinha dorsal deste Governo, (...) pouco ou nada se vislumbra."

"Será um governo de democracia musculada? De ditadura fascista ou comunista? Será um governo de inspiração monárquica?

É realmente estranha a sua actuação, uma vez que liberal não é, de certeza."

"Recordo a fome e a pobreza nacional dos anos cinquenta do século passado (...).

Atingidos os anos sessenta e até ao ano de setenta e cinco, a economia nacional já era favorável aos portugueses e, "o fascismo", fazendo aumentos de dois ou três tostões nos bens de consumo, deu-se ao luxo de distribuir o subsídio de natal, bem como dar metade das reformas dos falecidos aos cônjuges sobreviventes."

"Efectuada a revolução por meia dúzia de inocentes (em política) militares, que tinham horror ao capim e ao cantil às costas, nunca mais este país se equilibrou e, hoje, sofrem-se dificuldades de toda a ordem, a rapinice de quem nos tem governado (democraticamente?) (...)."

 

"E sentimos dúvidas em que regime político se integra este Governo Sócrates (...). Mais: se a extrema direita de então, era da sua política, tirar, porque dava?, porque deu? Se o ideal do "socialismo em democracia", é distribuir/ dar, porque não dá e para estupefacção dos que têm os miolos no sítio, tira, o que por Lei não lhes pertence tirar!"

"De maneira que, se os nossos políticos têm sido banais, também é verdade que todos têm sido mentirosos, porque talvez "nasceram" fracos de entre o seu "fraco povo"."


sinto-me: regredindo no tempo...

talhado por o barqueiro às 02:26
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

Sábado, 23 de Junho de 2007
Repudiemos a "Fusão"!

Repudiemos mais um pouquinho a "fusão" das escolas (encerremos isto que já cheira mal!)

Em mais uma das suas "fantásticas" revisões da actualidade noticiosa barquense, o barqueiro lá se deparou com a "Fusão da Escolas", desta vez na assembleia municipal. Foi, por acaso, uma das poucas vezes que se viu, pelo menos nas notícias, que este assunto da "fusão" foi discutido na assembleia, e não nas escolas, como na secundária, um local onde as associações de pais deveriam dar a voz aos alunos e pais, e não dar a voz às várias  corzinhas " barquenses. Parece que as "cores" fervilham no sangue do estereótipo barquense. E ainda faltam uns tempinhos para as eleições!!!

 

No caso específico do concelho de Ponte da Barca, as coisas nunca foram tratadas da forma certa, e raramente no local e posturas certas. As "cores" impuseram-se à racionalidade. Nas reuniões convocadas pelos jornais para os pais estarem presentes, só faltavam as bandeiras dos partidos em confronto.

 

Apesar destas posturas serem muito tipicamente barcalhoenses , mesmo que não o fossem se calhar pouco efeito teriam junto dos órgãos de decisão central DREN e Governo). As pessoas têm também que ter a consciência que as velhas escolas primárias estão a acabar, e a actual situação de países ditos de desenvolvidos força à cada vez maior "centralização" do ensino. É mau?! Por um lado as muitas crianças são sujeitas a stress de terem que percorrer grandes distâncias até à vila. Por outro, acabam-se as escolas das "senhoras professoras" de "cana ou régua na mão", e "consoada e folar" na outra. As crianças saem dos velhos hábitos das aldeias interiores, onde o ambiente é de um profundo conservadorismo. Ah pois é, senhores políticos da assembleia. As realidades das nossas aldeias são estas! Um dos pecados da "morte" da política actual é mesmo esse: o não conhecimento não propositado (ou não) das realidades, substituindo-se a sua discussão objectiva por palavras muito bonitas, dignas de um bom programa de enterteinment .

Como a adesão às manifestações contra a dita "fusão" por parte dos pais dos alunos foi fraca, lá se vai esquecendo este outrora polémico assunto da actualidade barquense.

NOTA: A adesão foi fraca por duas razões ambas possíveis e conjugáveis: a quase completa substituição dos assuntos da educação por típicas politiquices  bairristas", fragmentando o público em vez de o unir por uma causa; e uma segunda razão também muito evidente: tal como o "querido" líder da JSD já disse um dia, reina o "medo" salazarista pelas manifestações, levando a um vicioso "comodismo" muito típico por estas bandas.  


sinto-me: enfim, acabou!

talhado por o barqueiro às 21:37
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

Sábado, 16 de Junho de 2007
2ª Aula de "Estado Novo" por Artur Soares

2ª Aula de "Estado Novo" por Artur Soares

Depois do sucesso que foi a primeira aula de "Estado Novo" (parece que aqueles para quem Salazar fazia falta estão satisfeitos), o barqueiro decidiu por neste blog mais uma destas aulas, para satisfazer aqueles que têm saudades, e para mostrar aos outros que ainda existem pessoas que gostam de tais aulinhas. Mais uma vez a qualidade dos conteúdos é de Artur Soares, a exclusividade é do Notícias da Barca e a aula interactividade de ensino provinciano é do "Nada sobre a Barca". Já agora, se não estudou a primeira aula em http://nadasobreabarca.blogs.sapo.pt/14681.html, dê primeiro uma vista de olhos. É que se não sabe o que já ficou para trás começa a ser muita matéria e depois perde-se.

Comecemos como da última vez.

Cantem o Hino e de seguida 2 Avé - Maria, 1 Pai Nosso e para finalizar um "sinalzinho da cruz". Ha!... e virem-se para as fotografias.

           

A aula de hoje é dedicada ao respeitinho, à disciplina e falta de valores. E às intoxicações. Fiquem então com o sermão da calamidade actual da nossa sociedade por Artur Soares:

"O homem de hoje, parece despido daquilo que é minimamente normal possuir: personalidade, carácter, seriedade, rectas intenções, disciplina. O homem de hoje, vive permanentemente intoxicado, canceroso."

"Esta gente, mais asnos do que gente, por vezes até se convencem que possuem Deus ou, pelo menos, pensam tê-lo."

"E estes lideres da vida social e política, ao viverem intoxicados pela defesa do seu umbigo e das suas camarilhas, esquecem que Deus nem pelas suas portas passa quando morrerem, vão sós."

"Salazar, não era bom homem, mas foi sério consigo próprio e, dentro das suas perspectivas sociais, económicas e políticas, não mentia politicamente em seu favor e, como maior defeito, distribuiu benesses aos pais e avós dos políticos que hoje nos têm governado."

"Que primeiros ministros tivemos nestes últimos anos, dignos de realce, a governarem este país - este Titanic em viagem - bem como presidentes de república? Qualquer um deles, no tempo do ditador Salazar, nem para chefes de repartição serviam, como há tempos o afirmei."

"Pense Sócrates, que em breve poderá ficar só entre os homens e ignoto a si mesmo. E se nada disto lhe acontecer, devido à falta de um vigilante e bom presidente da república, de dirigentes sindicais sérios e válidos e de republicanos radicais ou de maçons golpistas, pelo povo será golpeado nas urnas e colocado onde tem direito - o ostracismo. E é pena, pois será sinal que Portugal, para efeitos de vestuário e alimentação, pode pedir asilo ao país vizinho.

Perante tal repasto de pedagogia à moda antiga este professor chega à conclusão lógica e simples: SALAZAR AO PODER! Se está com pressa de andar com falta de "vestuário e alimentação", então já sabe, junte-se também aos "docentes de Estado Novo" da "nova" geração. E já sabe quais são os pilares da doutrina: Pátria, Família, Religião, Fome, Futebol, "Ecos do Nosso Mundo" no "Notícias da Barca" e blog http://bicadasmeuaparo.blogs.sapo.pt.


sinto-me: regredindo no tempo...

talhado por o barqueiro às 00:48
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

Sábado, 2 de Junho de 2007
Aula de "Estado Novo" por Artur Soares

Aula de "Estado Novo" por Artur Soares

Já há algum tempo que Artur Soares vinha escrevendo os seus artigos na sua rubrica "Ecos do Nosso Mundo", mas foi desta última, na edição de 26 de Maio do "Notícias da Barca" que mostrou toda a sua vocação. O artigo intitulava-se "Vestuário e Amplas Liberdades". Já por si o título é muito sugestivo, e a sua rubrica, "Ecos do Nosso Mundo" cabe-lhe que nem uma luva. De facto, apesar da  ditadura política ter acabado há uns anitos, ela ainda ecoa no nosso mundo barquense, estendendo-se a todo o Portugal. Ainda não leram? Pois leiam e recortem do jornal, pois é do melhor que há para rir, pois se fosse para levar a sério seria no mínimo extremamente preocupante, tal é o conteúdo de tal artigo. É de facto um artigo pró-repressão, tal como muitos dos resquícios de mentalidades que ainda andam por aí (basta ver o caso do professor que não pode dar em privado uma graçola acerca do primeiro-ministro). Estaremos a recuar no tempo? O que parece é que desde o 25 de Abril que não mais houve uma evolução tão significativa a nível ideológico. Mas como esta discussão tem que ser feita de forma muito séria no seio da população, e não neste blog sem credibilidade, o barqueiro tem o desgosto de pelo menos uma vez na vida proporcionar prazer àqueles a quem o 25 de Abril nada lhes disse. Revivam então uma das vossas aulas de instrução primária, baseada pelos excertos de qualidade superior do artigo do "sim, senhor professor" Artur Soares, mas com a interactividade do século XXI.

Para começar cantem o Hino e de seguida 2 Avé - Maria, 1 Pai Nosso e para finalizar um "sinalzinho da cruz". Ha!... e virem-se para as fotografias.

 

               

 

A aula de hoje é dedicada aos bons costumes no vestir. Fiquem então com o sermão da calamidade actual da nossa sociedade por Artur Soares:

 

" O ano passado, no santuário de Fátima (...) D. Serafim, fez um pedido (...). Foi um pedido delicado, e, por isso mesmo, feito com toda a delicadeza! Pediu aquele Prelado, que os peregrinos fossem cuidadosos "em não fazer daquele recinto, local de turismo e, muito menos, local de praia"."

"Infelizmente, são muitos os Prelados portugueses que necessitavam de fazer semelhante pedido nas suas Dioceses. (...) se o Clero não tomar atitudes, melhor, se não fizer tais "delicados pedidos com toda a delicadeza", dentro de poucos anos os fieis apresentar-se-ão nas igrejas em fatos de banho se, os tiverem, uma vez que o calor os dispensa."

 

"Creio bem que há abusos. Mas o que mais custa observar neste reino sem rei, é vermos senhoras que - conduzindo o carrinho do bebé e marido ao lado - usam quase tanta roupa no seu corpo como aquela que traziam ao nascer!"

 

"E a democracia pregada por estas três repúblicas, bem como a democracia da maçonaria, não conhecem fronteiras para espalharem a anarquia, o despudor."

 

"A vida do homem também é composta por costumes, modas e leis que o regem. (...) "a moda é inventada pelos loucos e os tolos é que as seguem de perto"."

 

"Quem não vê a moda das blusas e das t-shirts sem frente e sem fralda? E quem não vê as calças sem gola? Com este caminhar e com tal rapidez, não admira que daqui por vinte ou trinta anos, seja moda caminhar pelas ruas da cidade, praticando nudismo."

 

"Há pais que tudo facilitam às filhas, talvez com a intenção de terem um genro o mais rápido possível; e há maridos que não se importam que as suas esposas sejam "apreciadas" pelos amigos."

 

Pois é! O barqueiro e quisesse dar uma aula do género a todos os que gostavam de reviver os tempos de ditadura, não conseguiria fazer melhor! Daí que a quantidade de excertos usados nesta "aula" seja grande, esquecendo-se outros parágrafos de qualidade semelhante.

 

Agora vão lá embora e já sabem: vistam-se bem! Usem as vossas roupinhas do tio Oliveira Salazar. E, mulheres: não vão para a missinha tentar os padres com as vossas "mini" roupas.

 

Esperemos pelas próximas aulas. E façam também aos vossos familiares e amigos estes "delicados pedidos com toda a delicadeza". Acabem-se estas "poucas-vergonhas"!  


sinto-me: rir ou chorar?

talhado por o barqueiro às 19:29
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

barqueiro
pesquisar
 
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


barcalhoadas recentes

Problemas nas escolas tam...

Fim das aulas de Estado N...

3ª Aula de "Estado Novo" ...

Repudiemos a "Fusão"!

2ª Aula de "Estado Novo" ...

Aula de "Estado Novo" por...

todas as barcalhoadas já assistidas

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

Visitas
Vídeo do mês: Política para Totós
subscrever feeds