Domingo, 4 de Novembro de 2007
1 de Novembro - dia de floriados

Dia 1 de Novembro - Dia de "floriados"

É no jornal “Notícias da Barca” que pudemos ler o melhor artigo escrito acerca do dia 1 de Novembro em toda a imprensa regional de Ponte da Barca. O seu autor é Manuel Silva Machado, e o seu título “Lidar com os Mortos”. Nele é descrita a forma “difícil” com que lidamos com os mortos, e por outro lado caricata. “(…) As conversas rápidas ou as trocas singelas de palavras com os outros que vieram à cerimónia (funeral), testemunham o ligeiro mal-estar que se instala sempre entre os vivos.” Com isto, o autor não quereria dizer, por outro lado, que “fica mal” não chorar durante um funeral, como se fazia antigamente com um dos hábitos mais macabros e vergonhosos do antigamente: o “pranto”, que predominava num mundo conservador e rural à imagem de Salazar. Significa sim que as pessoas escondem “a complexidade de afectos que entretinha com o morto.” Parece que há incómodo em viver perante a sociedade o que realmente cada um de nós sente acerca da morte e dos mortos que fizeram parte da nossa vida.

Todo o desfile de adereços das campas que se colocam nesse dia é algo “sem qualquer sentido”. Como este autor também diz, “O morto morreu, e nós que vamos caminhando no sentido de lhe ocupar o lugar, deixemos esses floriados e façamos com  que uma simples lágrima furtiva desça pela face em sinal de dor.”

 

 

O que é mais triste, é que tenha de haver um “Dia do Morto”, como um dia de uma outra coisa qualquer, para que uma vez por ano haja pessoas que se lembrem dos mortos.

 


sinto-me:

talhado por o barqueiro às 00:14
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

Domingo, 28 de Outubro de 2007
Barca: terra santa do minho

Barca: terra santa do minho

Depois de tantos episódios de "Mais um servo de Deus em Ponte da Barca" (se ainda não viu, veja a lista de anteriores artigos deste blog), a nossa imprensa, em final de mês de Outubro ainda nos brinda com artigos sobre os novos padres do concelho, assunto já mais que tratado durante o mês de Agosto e Setembro. Desta última (esperemos) vez, foi no "Notícias da Barca" por M.C. Soares, tocando mais uma vez no assunto da ordenação de Jorge Silva da freguesia de Bravães. Depois de "beijarem os pés" aos seus superiores durante a ordenação (ao que dá a entender pelas fotos divulgadas), o que mais serão capazes de fazer estes novos padres que são ordenados por estas terras? Muitos padres recém ordenados por esse país fora têm-se queixado de falta de condições dada pelos seus paroquianos! É verdade! Os padres estão cada vez mais exigentes, como é o caso do seguinte testemunho dado pelo padre Ezequiel, no vídeo que se segue:

 

No jornal "O Povo da Barca", Luís Arezes vem também tocar nos assuntos religiosos destas terras. Vem chamar a atenção para o esquecimento dos 100 anos da Santinha da Barca. No seu artigo são dadas muitas informações acerca desta santa barquense, que em 1906 é tornada "santinha" após ter sido descoberto que o seu corpo se encontrava "direitinho" após 12 anos de "residência" no seu jazigo. O seu corpo perdura até hoje, após ter sido posteriormente conservado com recurso a "cal e ácido". Seu verdadeiro nome, de pessoa comum da sociedade daquela época, era Utelinda do Nascimento Barbosa. Com certeza que esta "santinha" é um marco na história das crenças religiosas do nosso concelho. Mas o que é que era esta "santinha" na realidade? Era, no fundo, uma mulher que pelo facto de não ter apodrecido normalmente enterrada na terra após a sua morte se tornou santa segundo as crenças locais. Mas que é isto? "Banha da cobra"? E a quem a vendeu e a tornou lenda durante esses precoces anos do século XX, o povo também poderia insultar da forma como costuma fazer a impostores: "Os senhores são mas é uns grandes filhos de Deus, pá!"... "E santinhas na Barca também há muitas!".

 

 


sinto-me:

talhado por o barqueiro às 00:55
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

Domingo, 14 de Outubro de 2007
Mais um servo de Deus em Ponte da Barca - 2ªtemporada

Mais um servo de Deus em Ponte da Barca - 2ªtemporada

 

Ao que parece, o concelho de Ponte da Barca tem sido nos últimos tempos uma zona do país, e quiçá do mundo, onde a Igreja Católica tem tido resultados positivos no que à propagação de pastores diz respeito. Não bastando o já muito badalado padre Jorge Silva da freguesia de Bravães, chega agora uma nova temporada desta "série" de artigos dedicados aos servos de Deus, agora protagonizada pelo "consagrado de fresco" padre Custódio, da freguesia de Britelo. Como foi por aí referido na imprensa regional, foram feitos "tapetes de flores" e um "modesto banquete", na festa de recepção da paróquia referida. Foi também referido que em freguesias como estas, "a imagem de um padre é descrita como um ser santificado, dado que, culturalmente, é visto como o transmissor da lei divina."

Enfim, depois de tantos episódios a falar de consagrações de padres, não vale a pena acrescentar mais nada. Apenas dedicar ao novo padre um "futuro promissor como pároco", e sobretudo dar uma palavra de apreço a todos aqueles que durante estes dias foram a Fátima dar a sua esmola ainda que por vezes abdicando de outras coisas mais importantes na suas vidas...


sinto-me:

talhado por o barqueiro às 07:25
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

Domingo, 30 de Setembro de 2007
Mais um servo de Deus em Ponte da Barca - episódio III

Mais um servo de Deus em Ponte da Barca - episódio III

Depois dos anteriores episódios deste blog acerca deste novo evangelizador de terras barquenses, o povo da freguesia de origem deste jovem, Bravães, fez uma festa de "Missa-Nova". Esta festa que permitiu ao jovem padre Jorge Silva iniciar o seu "estágio" de pastor tornou o dia 19 de Agosto "um dia de radiante alegria e pleno de felicidade para toda a população", segundo o jornal.

O que de facto se passou de interessante nesta festa e que ficou registado foi o beijo... é verdade... o beijo da política ao novo padre. No mínimo estranho para quem começa o celibato. Mas pronto, o que faz falta é boa disposição, e nisso esta festa foi muito rica certamente, a julgar apenas por esta foto... o resto só quem lá esteve presente poderá guardar para a posteridade.


sinto-me:

talhado por o barqueiro às 08:27
link do post | botar farpas (=comentar) | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 21 de Agosto de 2007
Desrespeito pelo património

Falta de cultura leva a faltas de respeito pelo património

   

Recentemente assistimos no "Notícias da Barca" a uma troca de palavras entre M. C. Soares e Alípio Pereira. É triste que pessoas se zanguem por causa de algo tão nobre e importante para o concelho como é a Igreja do Mosteiro de Bravães. Ainda mais triste é o facto de alguém que não é da freguesia de Bravães, como é M. C. Soares, venha alertar numa edição anterior do referido jornal para a falta de acompanhamento e informação dos turistas que visitam esse monumento de Bravães e a Igreja Matriz, e venha o senhor Alípio Pereira na edição seguinte quase insultar M. C. Soares para defender a igreja que pelas palavras será da sua freguesia. É também verdade que o senhor M. C. Soares não se deveria ter alongado tanto na resposta a Alípio Pereira, tornando-se muito extenso. Mas a verdade essencial está do lado de M. C. Soares: os nossos monumentos, como são a Igreja de Bravães e a Igreja Matriz mereceriam uma muito maior atenção das entidades políticas do concelho: os turistas actualmente deparam-se apenas com as paredes e beleza dos monumentos, mas com poucos meios que os permitam seguir as suas visitas.

Numa outra freguesia, em Vade S. Tomé, uma coisa muito mais grave poderá acontecer. Depois do alerta de António Pestana Raposo acerca das intenções de destruir o vestígio de uma antiga via romana e seus muros para fazer obras numa via de acesso na freguesia, o presidente de junta Joaquim Silva Lopes vem reponder em tom de "chico esperto". Se não se lembra dessa denúncia pode ir ver o comentário já publicado neste blog em http://nadasobreabarca.blogs.sapo.pt/22279.html. Alguns desses argumentos que permitem classificar desta forma o comentário nos jornais deste presidente de junta são:

"1º - Este senhor esquece-se que esta obra é a ligação interior do lugar de Paredes ao lugar da Mouta"

"2º - Não é de modo algum benefício de pessoa singular mas sim de interesse público."

Claro, o arranjo de um caminho da freguesia sobrepõe-se ao valor do património histórico, marco no tempo da cultura de outrora. Senhor presidente, lembra-se de Foz Coa? Era uma barragem de interesse fundamental para esse concelho inteiro e não fui para a frente? Quer que um caminho destrua um pequeno mas simbólico vestígio da ocupação Romana?

"3º - É verdade que há um muro em mau estado, e outro ruiu na estrada da Mouta, mas esse senhor não diz nada que a queda do muro se deve a um desaterro que ele próprio fez à revelia da Câmara Municipal."

Claro, vamos lá descobrir os "podres" de quem se quer acusar, para ele perder toda a credibilidade - agora já se pode deitar os muros romanos ao chão.

"4º - E muito mais teria a dizer mas fico por aqui. O senhor Engº meta a mão na consciência..."

 

Este 4º ponto é no mínimo genial. "Muito mais teria a dizer..." é um bom argumento para alargar o tal caminho...

 

Como se não chagasse ainda revela uma certa estupidez ao dizer que se surpreende "que uns simples muros de vedação, ainda por cima tem as juntas feitas com cimento, se possam chamar de muros Romanos, mas enfim eram Romanos evoluídos." Senhor presidente, olhe para a estrada romana junto à rua Trás do Forno na vila e veja lá as tampas do saneamento. Não é por causa disso que não deixa de ser Romana. Perdeu foi parte do valor que posssuiria se fosse preservada, tal como provavelmente acontece com esses muros dos "Romanos evoluídos". O facto de ambas as estradas não serem preservadas deve-se ao simples facto de quem governa as nossas terras não ter visão, cultura ou o que quiserem mais chamar.

Na opinião deste insignificante blog, o IPPAR deve ser chamado para avaliar de facto e objectivamente esta situação, de forma a orientar da melhor forma este problema.


sinto-me:

talhado por o barqueiro às 10:32
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

Segunda-feira, 6 de Agosto de 2007
Mais um servo de Deus em Ponte da Barca - episódio II

Mais um servo de Deus em Ponte da Barca - episódio II

"Segundo a Agência de Notícias da Igreja Católica "Ecclesia", Ponte da Barca passou a ter mais um padre para servir as almas mais necessitadas. O Bispo de Viana do Castelo ordenou, segundo esta agência noticiosa, "três novos presbíteros para o serviço a esta parcela do Povo de Deus que peregrina no Alto Minho." O barqueiro só acrescenta, a este discurso com toda a "cagança", abençoados sejam! Ao que parece tudo decorreu na Sé Catedral de Viana do Castelo às 15.30h (hora marcada) no Domingo passado. Para além do padre do concelho de Ponte da Barca, Jorge Agostinho Sousa e Silva, da freguesia de Bravães, foram ordenados mais 2 padres provenientes das "paroquías" de Darque e de Cabreiro, em Arcos de Valdevez."

Foi esta a introdução do anterior artigo deste blog a propósito do novo padre em Ponte da Barca em http://nadasobreabarca.blogs.sapo.pt/23222.html. Para quem não viu o tipo de testes ou exames finais que um padre tem que passar para ser nomeado presbítero, para exercer o sacerdócio, fica aqui o vídeo dos Gato Fedorento. Anos de preparação nos Seminários para poder passar nestes exames!

 

 

 

Ora você achará que tudo isto é ficção elevada ao ridículo. Pois é. Mas nem o melhor cómico, coisa que o barqueiro não é, conseguiria fazer uma cena mais ridícula que a que os padres consagrados na Sé em Viana do Castelo. É mesmo verdade! Eles próprios, os padres, é que trataram de fazer todo os espetáculo, deitados no chão, talvez beijando os pés ao bispo a aos outros que o amparam. A única exclusividade (até nem parece fictícia) disponibilizada por este blog nesta cena são os diálogos.

De facto, na arte de "lamber-botas" já vimos bons artistas, mas como estes, perante uma igreja repleta de pessoas das freguesias dos padres André Filipe Gonçalves (Darque), Custódio Manuel Branco (Cabreiro - Arcos de Valdevez) e Jorge Agostinho Silva (Bravães - Ponte da Barca), nunca vimos igual...


sinto-me:

talhado por o barqueiro às 17:20
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

barqueiro
pesquisar
 
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


barcalhoadas recentes

Menino Jesus vs Pai Natal

A "Nata" Barquense

Diácono de Lindoso ajoelh...

Capital do homenageanso p...

Abílio Silva, Manuel Alve...

Olhos mais abertos para F...

Nova Ambulância para Bomb...

“Mesmo mesmo animal só co...

“Conversas do Além” em Po...

Novo sacerdote “entregue”...

A casa mais indesejada de...

proposta melhor apoio soc...

1 de Novembro - dia de fl...

Barca: terra santa do min...

Mais um servo de Deus em ...

Mais um servo de Deus em ...

Desrespeito pelo patrimón...

Mais um servo de Deus em ...

Mais um servo de Deus em ...

Tó Parolo menos solidário...

Aula de "Estado Novo" por...

Nossa Senhora lhes dê mão...

Níveis de confiança aumen...

O Verão é deles: santos

Apanhados: flagrantes da ...

O cidadão Jesus Cristo

Páscoa à barquense

todas as barcalhoadas já assistidas

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

subscrever feeds