Sábado, 16 de Fevereiro de 2008
Como vamos de Carnavais na "Barquinha"

Como vamos de Carnavais na "Barquinha"


Antes de falar na Barquinha, uma terra muito engraçada, falemos de Ponte da Barca real. Nesta terra real do Alto – Minho, o Carnaval tradicional, tipicamente português e “autóctone” de Lindoso, tem lugar com o “Pai Velho”. Nesta tradição são feitos cortejos, rusgas e brincadeiras tradicionais do Entrudo, terminando com o Enterro do Pai Velho e leitura do testamento com críticas em várias direcções. De forma justa, deve ser aqui elogiada a Câmara Municipal pela divulgação desta tradição anual do nosso concelho, integrando-se nos cartazes culturais e turísticos a nível nacional, nesta altura do ano.

 


 

Passando-se à “Barquinha”, essa terra tão engraçada, este blog pretende também fazer a sua sátira, ao estilo dos cortejos e carros alegóricos carnavalescos. Algures na cabeça de um qualquer barquense existe essa terra, a “Barquinha”, onde o imperador reina e a oposição estranha esta nova perspectiva de fazer política, após tantos anos no “poleiro”. Por altura da época carnavalesca, porque nessa terra também é Carnaval por esta altura, o Imperador reina tranquilamente. Os Senadores da Oposição são cegos, surdos e mudos e por isso não se apercebem de que se começara a construir um “poio” de edifício na Barquinha, e muito menos de que o imperador e seus parceiros põem as facturas de água e saneamento a pesar até mais 182% nos bolsos do povo da Barquinha. No começo de novo ano na Barquinha o Imperador e seus parceiros prometem que é esse o ano vão provar que não são iguais a toda a política a que o povo vai estando habituado. Na oposição, os Senadores como são surdos, mudos e cegos, pedem aos seus filhos, na “reentré” que façam eles o calendário da política de oposição, já que estes jovens não padecem dos mesmos défices sensoriais dos seus pais Senadores. À parte destas complicações da política, um discípulo do Imperador e uma discípula dos Senadores da Oposição entretêm-se como crianças ou bebés com birras, a tentarem provar quem é que é o melhor, num duelo taco a taco.

 


 

Assim se vai de Carnavais em Ponte da Barca e na Barquinha.

 


sinto-me:

talhado por o barqueiro às 19:28
link do post | botar farpas (=comentar) | ver comentários (1) | favorito

Domingo, 20 de Janeiro de 2008
2008 trará mais do mesmo?

2008 trará mais do mesmo?


Esta passagem de ano foi vivida com as expectativas de todas as outras: a esperança de um ano novo melhor que o anterior. Em termos políticos poder-se-á dizer que poderá ser o ano da mudança em Ponte da Barca. Isto é, se tudo o que está previsto no Plano de Desenvolvimento Estratégico e no orçamento para este novo ano se fizer cumprir. Apesar de todas estas expectativas poderem andar pelas cabeças dos barquenses que estão à espera para ver, existirão aqueles que nem saberão sequer destes planos, aqueles que pensam que tudo isto não passarão de promessas, ou seja, uma maneira dos políticos dizerem aquilo que não vão fazer dizendo que vão fazer, e existe ainda um grupo que em vez de fazer o balanço de 2007 fizeram já o balanço de 2008, dando já como concretizados todos estes planos.

Não seguindo a onda destes defensores exagerados do actual executivo, que dão como já concretizados os projectos previstos, o barqueiro também não segue a onda de começar já a dizer que vamos ter mais do mesmo este ano, apesar de o medo pairar. Faz antes a pergunta: 2008 trará mais do mesmo? Tenhamos a esperança que não.

Tenhamos a esperança de que a Câmara Municipal consiga realizar todos os projectos a que se propôs para este 2008, e que consiga atravessar este ano de forma bem sucedida, como o povo de Touvedo S. Lourenço fez ao reviver a tradição da passagem do rio e ao chegar de forma bem sucedida à outra margem do rio Lima.

 


 

Tenhamos a esperança que o fardo das promessas feitas por Vassalo Abreu para 2008 não lhe pese tanto quanto pesam as “medalhas” e o “metal precioso” ostentados ao pescoço pelo Arcebispo Primaz de Braga D. Jorge Ortiga, nas cerimónias de inauguração da biblioteca do centenário do nascimento do Cónego Avelino de Jesus Costa.


 

Tenhamos esperança que a vida pública barquense não se conduza pelas águas da monotonia e estagnação, tal como tem feito Artur Alvarães da “Tribuna Livre” do “Notícias da Barca” ao dar semanas a fio a “habitual pincelada”, como ele próprio designa, desde que foi aprovada a nova Lei do aborto, durante todo este ano de 2007.


 

 

Esperemos que a Câmara Municipal fomente o turismo, como uma das maiores potencialidades de Ponte da Barca, e que não se metam mais “poios” nos postais turísticos de Ponte da Barca, como aquele que, irremediavelmente foi começado a ser “cagado” em 2007.   

 


 

 

 


sinto-me:

talhado por o barqueiro às 00:56
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

barqueiro
pesquisar
 
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


barcalhoadas recentes

"Show de Bola" na Assembl...

"Show de Bola" na Assembl...

Políticos vão às aulas......

Política urbana e rodoviá...

Ping Pong político

Ordem na “Capoeira”!

Como vamos de Carnavais n...

2008 trará mais do mesmo?

todas as barcalhoadas já assistidas

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

subscrever feeds