Sábado, 17 de Março de 2007
Roubos em Ponte da Barca City

Roubos em Ponte da Barca City

Segundo fontes de informação locais, "larápios levaram saco cheio de ouro da Ourivesaria Dias". O barquiero quer destacar que esta notícia surge na sequência de outros roubos, que se vão tornando cada vez mais frequentes nestas terras. Este último assalto, a uma ourivesaria, foi feito em plena hora de almoço. Os assaltantes actuaram com a cara destapada, e com um carro com matrícula falsa. Felizmente para estes assaltantes a gravação de imagens por videovigilância ainda cá parece não ter chegado.

A julgar pelas fotos dos jornais locais, muita gente esteve disponível para o típico rescaldo "à portuguesa", que normalmente se faz a seguir a um desastre, como nos "típicos" acidentes de viação. Com tal afluência de público, o barqueiro nem quer imaginar se o assalto tivesse ocorrido num Domingo ao fim da missa, ou no fim de um dia de trabalho. Provavelmente o estabelecimento afectado ficaria totalmente tapado pela multidão que estaria presente.

Não foi o primeiro nem provavelmente será o último assalto em Ponte da Barca. Convém referir que os casos de burla especialmente a idosos têm aumentado. Muitos são aqueles que se têm aproveitado de barquenses envelhecidos, atrasados e isolados nesta terrinha à beira Lima. Bastará ver a quantidade de pessoas que ainda invadem a vila em Quarta-feira de feira quinzenal, como se viessem todas essas quartas pela primeira vez à vilinha. Segundo o "Povo da Barca", têm sido esses os momentos certos para burlar estas pessoas que tanto apreciam o ambiente feirante, mesmo que muitas vezes tenham pouco dinheiro para gastar ou pouco para comprar.

Há contudo pontos de vista positivos que podem ser retirados daqui: quanto mais urbanizado for um meio mais criminalidade em princípio haverá para combater. Este concelho está assim a tornar-se Ponte da Barca City por uma ordem não convencional de acontecimentos. O crime está a surgir primeiro em relação ao crescimento económico e urbano da vila. Continuámos sem uma grande superfície comercial, que devido a lobbies (empresários com "panelas" de poder montadas) instalam-se no concelho vizinho de Arcos de Valdevez, com a desculpa de poder afectar o "promissor" Comércio Tradicional barquense, não existe uma zona industrial há muito ambicionada nos "esbeltos discursos" barcalhoenses, temos uma espécie de circular externa para o trânsito que a julgar pelas condições do piso poderá tornar-se uma pista todo-o-terreno ou um caminho florestal, já há um parque subterrâneo (para as moscas se protegerem do calor no Verão e os sapos hibernarem) e piscinas municipais (= "carroça à frente dos bois") e ainda se está à espera de uma zona desportiva e de ser inventado o "alcatrão" para pavimentar as estradas. Em conclusão, uma pequena parte já está construída e uma nova está aí a surgir em força: o crime. Faltam agora as outras partes referidas e ainda outras não lembradas para se construir uma verdadeira urbe. O quê?! Falta coragem e dinheiro para se fazer o resto? Já estámos habituados às dívidas crescentes e falta de verbas, e à falta de força para se quebrarem velhas e profundas raízes.


sinto-me:

talhado por o barqueiro às 00:35
link do post | botar farpas (=comentar) | favorito

barqueiro
pesquisar
 
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


barcalhoadas recentes

Roubos em Ponte da Barca ...

todas as barcalhoadas já assistidas

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

subscrever feeds